Vinho varietal ou blend: qual a diferença?

Os termos varietal e blend são muito utilizados no universo dos vinhos e comumente encontradas na ficha técnica dos rótulos. O objetivo é designar as variedades de uvas utilizadas na produção daquele exemplar, permitindo que o consumidor se identifique e pressinta a personalidade da bebida. Mas qual a diferença entre ambos? Explicaremos a seguir:


Varietal


Os vinhos varietais, são aqueles que utilizam somente uma variedade de uva em sua produção ou na maioria de sua composição. A legislação reguladora de cada país pode classificar a categoria de diferentes maneiras, normalmente definindo que 75% da estruturação venham da mesma cepa.


Dentro desta mesma modalidade, se encontram também os monocastas ou monovarietais, aqueles vinhos elaborados 100% com um único tipo de uva.


Blend


Os vinhos blends, ao contrário dos varietais, utilizam em sua fabricação variadas cepas, podendo ser elaborados com até 14 uvas diferentes. Esta mistura ocorre para atingir o melhor resultado para a bebida, como aumentar seu corpo ou nível de acidez, buscando qual formato combina melhor com o estilo proposto e agrada mais ao paladar.


Geralmente, os blends realizam a combinação de suas uvas antes do processo de engarrafamento. Porém, existem algumas exceções, como é o caso do Vinho do Porto, em que diferentes cepas são prensadas em conjunto, formando um único líquido que será fermentado posteriormente.


Agora que você conhece a diferença, pode escolher o vinho que mais combina com seu estilo!